Serendipity

Hi my readers! Conforme prometido, hoje escrevo o post sobre Serendipity! Ontem assisti ao filme Escrito nas Estrelas e fiquei curiosa para saber o que significava o título original em inglês (confira o post sobre o filme (AQUI)), assim, fui pesquisar na web do que se tratava.
E fiquei realmente muito surpresa ao descobrir o que afinal de contas é a serendipidade.

Resumidamente, como eu já disse no post do filme, essa palavra é um neologismo que se refere a descobertas que fazemos ao acaso. A palavra foi criada pelo escritor britânico Horace Walpole em 1754, a partir do conto persa infantil Os três príncipes de Serendip. Esta história  conta as aventuras de três príncipes do Ceilão, (atual Sri Lanka), que viviam fazendo descobertas inesperadas, descobriam coisas sem estar procurando. Graças à capacidade deles de observação e sagacidade, descobriam “acidentalmente” a solução para dilemas impensados. Esta característica tornava-os especiais e importantes, não apenas por terem um dom especial, mas por terem a mente aberta para as múltiplas possibilidades.
E na história do nosso mundo, há vários casos famosos de serendipidade, como por exemplo:
Arquimedes (287-212 a.C.), o grande matemático e inventor grego, que enquanto tomava seu banho imerso em uma banheira,  teve o que hoje chamamos de um insight (idéia súbita, outra coisa muito interessante!) e, repentinamente, encontrou a solução para um problema que o atormentava havia tempos. Seria a coroa do rei de Siracusa realmente de ouro? Dizem que Arquimedes teria saído à rua nu gritando Eureka! Eureka! (Encontrei!) kkkk, até hoje usamos esta palavra! Ele havia descoberto um dos princípios fundamentais da hidrostática, que seria conhecido futuramente como o "Princípio de Arquimedes".
O químico alemão August Kekulé (1829-1896) adormeceu na plataforma enquanto esperava o ônibus que o levaria à sua casa e sonhou com uma cobra que mordia o seu próprio rabo , rodopiando numa roda desenfreada. Segundo ele, foi esse sonho que o inspirou no entendimento de como os átomos do anel benzênico se ligavam entre si, princípio básico da química orgânica (thanks, Kekulé, rs e ele descobriu tudo isso por acaso!!!).
Ao se preparar para entrar em férias por duas semanas, o médico Alexander Fleming inoculou estafilococos (um tipo de bactéria) em uma bandeja e, ao invés de colocá-la na incubadora, como normalmente fazia, resolveu deixá-la sobre a bancada.
No andar de baixo do laboratório de Fleming trabalhava um perito em bolores que cultivava, entre outros, os esporos de um fungo desconhecido, o Penicillium notatum. Imagina-se que os esporos, muito leves, tenham sido levados pelo vento e estavam flutuando em grande quantidade no ar do laboratório de Fleming, cuja porta sempre ficava aberta.
Retornando das férias, e encontrando o laboratório em grande desordem, Fleming começou a fazer uma limpeza geral. Repentinamente, uma das bandejas de estafilococos que estava prestes a ser desinfetada chamou-lhe a atenção. A placa apresentava uma larga zona clara totalmente desprovida de estafilococos, justamente a parte que estava cercada pelo mofo Penicillium. Fleming havia descoberto a penicilina, primeira droga capaz de curar inúmeras infecções bacterianas. Fala sério!!! Isso é muita sorte, ou melhor ... serendipidade, que rendeu até mesmo um Nobel á ele!

Em seus estudos, dissecando rãs em uma mesa enquanto conduzia experimentos com eletricidade estática, um dos assistentes do médico italiano Galvani tocou em um nervo ciático de uma rã com um escalpelo metálico, o que produziu uma reação muscular na região tocada sempre que eram produzidas faíscas em uma máquina elétrostática próxima. Tal observação fez com que Galvani investigasse a relação entre a eletricidade e a animação - vida. Por isso é atribuída a Galvani a descoberta da bioeletricidade.*--------------------*

A própria palavra eletricidade vem de um relato do filósofo grego Tales de Mileto: ao se esfregar âmbar com pele de carneiro, observou-se que pedaços de palha eram atraídos pelo âmbar. A palavra eléktron significa âmbar em grego. (Desse caso de serendipidade eu lembro bem, vi muito isso no ensino médio).
E o caso mais famoso, Isaac Newton e a maçã!!! 
----------------------------------------------------------------------------------------------
Esse fenômeno é muito comum para todos nós, quantas vezes você já não fez descobertas por acaso? Eu mesma, cheguei ao conhecimento desse fenômeno através da própria serendipidade, rs. Descobri isso sem querer mesmo, depois que assisti um filme.
Todos os dias acontecem casos de serendipity em nossas vidas.Por isso nós devemos viver, buscar novos conhecimentos, passear, ler, ouvir música... para o que o feliz acaso nos encontre e quem sabe da próxima vez, isto não te leve á um prêmio Nobel?? Rs, vai saber!
Semana passada, na aula de Letramentos, falamos sobre algo que contribui para a serendipidade entre nós, internaltas! O hyperlink..., afinal ele nos leva a encontrar mais coisas do que procuramos!
Clicamos aqui, depois ali e quando vimos ... já descobrimos uma porção de coisas e estamos em alguma página completamente diferente da que começamos.
O pensamento também funciona assim! Um pensamento vai puxando o outro...e assim vai.
Vivemos em Serendipidade!!! Busca-se uma coisa e encontra-se outra.É a arte de estar aberto ao improviso, de se deixar lançar na aventura, de compreender a beleza do desconhecido.
Nos dias de hoje também, é considerado como uma forma especial de criatividade, ou uma das muitas técnicas de desenvolvimento do potencial criativo de uma pessoa , que alia perseverança, inteligência e senso de observação.
Você chegou até esse conhecimento, através do meu blog, e chegar até aqui, foi um exemplo de serendipidade 
*-* Very Crazy!!! I Loved!

XoXo, Thay ;* 

Nenhum comentário:

Postar um comentário