Tales* Medo & desencontro

Hi everybody, conforme o prometido posto aqui o conto que escrevi baseado em fatos reais e desta forma inauguro mais uma seção do blog \o Tales, onde farei posts com contos escritos por mim (:
Modifiquei algumas passagens e identidades, para não comprometer as pessoas envolvidas, rs. Me senti inspirada, depois de tomar conhecimento de uma verdade há muito escondida... bem, vocês descobrirão com o conto (que por sinal, é bem curtinho... para poupar o tempo do leitor moderno e apressado, rs, como diria Aurélio no prefácio de seu dicionário (:


Medo & desencontro
Alice mudara-se para aquela casa havia dois meses, mas ainda não se acostumara com seu novo local de residência, tudo ali era muito solitário para ela. Tudo o que a garota mais ansiava, era poder voltar para sua antiga casa, para junto de seus amigos. E a escola? Ah, como Alice gostaria de voltar correndo para sua antiga escola. Dentro de poucos dias, iria ter de enfrentar a volta às aulas, em um lugar cheio de estranhos.
Na manhã que se seguira, Alice sentou-se em sua calçada para tomar um pouco de ar fresco e refletir sobre sua vida, quando se deu conta de que a vizinha estranha que aparentava ter sua idade, conversava com a mãe  a respeito da tal escola do bairro.
Alice resolveu entrar na conversa, estava perdida e precisava de alguma orientação.
Então estava combinado, iria para a escola com a vizinha esquisita, que afinal era uma pessoa legal! Sofia, era seu nome, estava um ano a frente de Alice e parecia uma boa pessoa.
Chegara a manhã de fevereiro, tão temida pela garota... já se tornara amiga de Sofia, parecia que ambas se conheciam há séculos. Alice acompanhou a menina até seu círculo de amigos e envergonhada insistia em fitar o chão. Até que o cumprimento de alguém, lhe despertou do transe de timidez em que se encontrava.
Olhou e viu um garoto de rosto alegre e olhos gentis lhe sorrindo.
- Olá! - disse ele - Qual é seu nome? É parente da Sofia?
- Não..., sou vizinha, meu nome é Alice e o seu... é? 
- Pedro (: 
Alice naquele instante sentiu algo dentro de seu peito, que lhe deixou curiosa..., ao olhar para aqueles olhos gentis, ela sentiu que aquele garoto seria importante em sua vida, mal sabia ela... o quanto.
Em pouco tempo, Alice estava apaixonada , a jovem de 13 anos encontrava-se diante de um sentimento grandioso que não sabia explicar de onde viera. 
Sofia tinha o dom de fazer descobertas e logo descobriu que a amiga tinha caído nas garras do amor e de imediato se propôs a fazer o papel de cupido. 
Encontros e desencontros pelos corredores da escola, peças armadas por Sofia e Ashley (outra amiga que se    ofereceu para ajudar) fizeram com que Alice e Pedro se aproximassem. 
Mas, as dúvidas e os medos marcaram presença na estória dos dois. 
Alice sentia-se insegura, Pedro jamais admitira sentir nada pela garota e limitava-se a dar indícios que nada comprovavam (exceto para Sofia que sempre acreditara que Pedro sentia algo especial por Alice). 
Ela amava-o cada vez mais, era um sentimento verdadeiro que machucava. O garoto seguia indiferente, sem jamais tomar qualquer atitude. 
Até que certo dia, Pedro tomou coragem e pediu que Alice o encontrasse no Festival de Inverno da cidade.
O coração da garota saltava de alegria, a face corava de vergonha e Sofia e Ashley armavam uma forma de ir ao evento também. 
Em um momento de felicidade sublime, sob a luz do luar... Alice pode sentir os lábios de Pedro tocarem os seus, em um gentil beijo que levou a garota à certeza de que o que sentia por ele, era mais do que uma paixonite boba de adolescente.
Mas acabara ali. 
Ambos, depois daquele dia jamais voltaram a ficar juntos.
Alice sentira a mais profunda dor da rejeição e foi lançada ao abismo, depois de alcançar o topo da montanha.
E o pior de tudo, não entendia o porque daquilo. Tudo o que recebera de Pedro, fora:
- Sinto um carinho grandioso por você, aquela noite foi esplendorosa para mim também. Mas não podemos ficar juntos , não iríamos dar certo, você merece alguém melhor.
Punhal cravado no coração que transbordava de amor. Lágrimas inundaram a  linda face de Alice e depois de meses de luto, para salvar seu coração ... decidiu amar quem a amava.
Iniciou relutante, um namoro com Eduardo, moço gentil que realmente merecia seu carinho e tudo para esquecer aquele que significava tudo em sua vida. 
E a estranha Sofia, insistia que Pedro a amava, ora que tolice! Tudo o que a garota queria era apagar todas as lembranças do que poderia ter sido uma linda história de amor.
Anos se passaram, Alice completava seus 18 anos ao lado do noivo, sorrindo diante da calçada de sua casa, agora sentia que pertencia àquele lugar. Encontrara alguém que a amava de verdade e sentia igual sentimento por ele. Queria se casar e construír uma família com Eduardo. Mas, flashs de recordações do seu primeiro grande amor... invadiram sua mente.
Acordara aflita, depois de um sonho estranho, precisava correr para a faculdade, estava atrasada.
Entrou no ônibus, deixou cair todo o seu material no chão, alguém ajudou a recolher o caderno de desenho. Alice tirou os cabelos dourados do rosto, para agradecer o gentil rapaz que a amparara e então, encarou aqueles olhos conhecidos.
Era ele! Pedro..., depois de tanto tempo! Não mudara em nada! 
Ah! Como Alice foi tomada por sentimento intenso ao revê-lo, todo o passado voltou á tona, como uma tempestade. Tudo o que ela lembrou, de repente se transformou em dor, só queria sair dali o mais rápido possível, livrar-se do passado, livrar-se do sofrimento.
Pedro não a deixou ir e animado iniciou o que seria uma longa conversa com a garota.
Alice voltou para casa sorrindo, estava feliz por ver Pedro feliz, mas não queria aproximar-se dele nunca mais... precisava seguir sua vida e deixar que ele seguisse a dele.
Meses e meses...
- Quem aqui já teve um grande amor? - perguntou Luna, colega de classe de Alice.
- Eu já tive! - respondeu Lucas ansioso  - Você também já teve um que eu sei Alice!
- Ah, por Deus Lucas não me lembre disso! É gostoso  amar, mas é melhor ainda, amar e ser correspondido.
- Alice, eu preciso falar com você. - Lucas indicou para a menina, uma carteira no lado oposto da sala.
A garota sentou-se na carteira, disposta a ouvir as tagarelices de Lucas.
- Você amava o Pedro não é? - o garoto começou sério.
- Sim..., mas...
- Posso te contar uma coisa? 
- Claro.
- Ele sempre te amou também, desde aquele tempo..., mas tinha medo de falar.. medo de não dar certo, receio de estar cometendo um grande erro. Ele não queria estragar sua juventude, queria lhe poupar a dor de um namoro fracassado.
Tudo o que Alice pode...foi ficar perplexa.
Tocou a campanhia da casa de Sofia, atordoada. Contou tudo o que descobrira à amiga.
- Eu juro que se encontrar ele na rua, dou um soco na cara desta criatura! Que burro!! Eu sabia, sempre soube que ele gostava de você também!!!!
 Sofia, sentiu-se extremamente espantada diante da informação.
Alice desabafou:
- Se ele tivesse me contado... tudo teria sido diferente... Teríamos vivido anos de felicidade, eu não teria sofrido, não teria me envolvido em outro relacionamento, eu estaria com ele, com o meu verdadeiro amor!
- Ele tentou te poupar de um sofrimento a longo prazo e acabou te fazendo sofrer o dobro. Reprimiu o que sentia por você, por medo de arriscar... por simples SUPOSIÇÃO de que o namoro de vocês não daria certo... e acabou destruíndo uma história de amor. Parabéns para ele (¬¬') - Sofia sentia pesar sobre a situação, mas sabia que aquela história, iria ter alguma utilidade não só para Alice, como para ela também.
- Hoje, estou prestes a me casar..., amo o meu noivo, mas jamais esquecerei do Pedro, sempre me lembrarei dele com carinho e torço para que ele seja feliz com a namorada. Não adianta chorar o leite derramado, mas posso sorrir... por saber que ele não foi derramado á toa.
No fim, foi uma história de amor..., a diferença..., é que vivemos ela inteira... separados, sentindo o amor isoladamente, ele lá e eu cá. Eu realmente sinto muito, e espero que essa história não se repita com mais ninguém. Na minha mente, só ficarão as boas lembranças e o anseio para que ele seja feliz. 


----- End ----------------


Gente, eu vou chorar... não..., eu quase chorei de verdade hoje, quando a "Alice" me contou essa descoberta! Por isso, fiz este post, para alertar a TODOS aqueles que escondem um sentimento. NÃO façam isso!!! Olha no que deu!? ARRISQUEM-SE, falem A VERDADE, NÃO tenham medo!!!! Não deixem escapar a chance de viver uma história de amor! Please! Faço um apelo, para que vocês não cometam o mesmo erro que o "Pedro". 
Contem a verdade, não desistam dos seus sonhos... por pura suposição de uma possível falha! Hoje mesmo, dê a cara á tapa por aquilo (ou aquele, aquela) que você quer! Em memória do que poderia ter sido a história de amor de "Alice" e "Pedro", divulgo esse conto e imploro pelo esclarecimento dos sentimentos.


P.S: (HAHA, minha mãe anda viciada em Rebelde e me fez ver a novela hoje,  por isso usei os nomes dos personagens Alice e Pedro)
O que vocês acharam da minha estreia na escrita de contos?? Me contem (:


Um clipe da Taylor, mostra um pouco dessa situação de amor secreto!






Kisses, Thay ;* 

2 comentários:

  1. humm muito boa essa história, pena foi não ter dado certo ...quantos Pedros devem existir por ai hein e Alices sofrendo ? Que isso possa servir de lição

    Fika a dika!!!

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você gostou ^^ Pois é... devem existir muitos por aí! Com certeza, que sirva de exemplo para mostrar que esconder sentimentos é algo muito ruim!

    ResponderExcluir