Letters* Armadura

Tenho que viver como se fosse de ferro, fingir que superei todas as minhas dores e frustrações. 
Parar de reclamar da vida e seguir em frente, sempre seguir em frente... porque o mundo não para, quem deve parar ...sou eu, parar de ser humana. Tenho que fazer isso, isso e aquilo, nada de sentir demais, nada de criar expectativas ou então quebrarei a cara. Acontece, que eu já estou com a cara quebrada, pior, só restaram cacos do meu coração. Cercada por promessas vazias, esperanças esfaceladas e bloqueios. 
Por que tudo tem que ser tão difícil? 
Não tenho respostas, a única coisa que sei é que devo ser forte. Mas, às vezes, eu me canso de ser fortaleza. 
Às vezes, eu fico aqui quieta, dizendo para mim mesma que tudo vai ficar bem.
Às vezes, eu percebo que só tenho eu e Deus.
Não quero ficar fazendo drama nenhum, odeio mimimi.
Se estou falando tudo isso, é porque realmente não posso mais aguentar. É um desabafo, uma confissão, uma terapia, catarse.
Lá vou eu, pegar minha armadura de novo e seguir para a luta, de queixo erguido. É isso o que mais sei fazer. Não espero que me entendam, não espero que queiram me acompanhar, não espero mais nada.
Mas, o que eu realmente queria era sentar ali e chorar tanto! Porque está tudo errado.
E eu não tenho o que fazer quanto a isso, além de ser forte.
Deus está me amparando, como sempre. Mas, sei que preciso enfrentar certas coisas.
Vou me manter inabalável, sim, é isso que vou fazer. Amanhã é outro dia. Minha vez vai chegar e eu estou acostumada a esperar e não esperar nada.






Nenhum comentário:

Postar um comentário