Book* Querido John - Nicholas Sparks

Hi, my lovely readers! Estou surpresa comigo mesma, devorei "Querido John" em tempo recorde! Estava louca para lê-lo, pois todos haviam me falado que era incrível, porém triste. Eu precisava estar emocionalmente estável para lê-lo, a hora certa chegou e voilá, contarei o que achei ;)
Querido John
Sinopse 
Nicholas Sparks, autor número 1 de best-sellers, traz agora uma história inesquecível de um jovem que tem que tomar a decisão mais difícil de sua vida, em nome de seu grande amor.“Querido John”, dizia a carta que partiu um coração e transformou duas vidas para sempre.Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.                     Fonte: Skoob


Ah, gente... amei o livro inteiro, é realmente muito bonito!! Mas, sinceramente? Não gostei do final :/ Ok, tem uma mensagem linda por trás, mas eu gosto de finais felizes. 
John é uma pessoa deveras interessante, na adolescência foi um grande rebelde meio que desvirtuado, gostava de beber, não estava nem aí para os estudos, era encrenqueiro, não queria nada com nada. Sua mãe o abandonou quando ele era bem pequeno, o pai o criara desde então, mas a convivência de ambos foi tornando-se difícil, pois John descobrira que sua personalidade divergia com a do pai. Eles mal conversavam, a única coisa que os ligara era o assunto sobre moedas, o Sr. Tyree tinha a grande paixão de colecioná-las e falava praticamente apenas sobre isso, gostaria que John também herdasse isso, mas chegou um tempo em que o rapaz disse que nunca mais queria saber das porcarias de moedas. 
Depois de uma adolescência turbulenta, o protagonista decide se alistar no exército e graças a essa experiência, John muda. Sendo um soldado, o moço aprende a ter responsabilidade, respeito e tudo o mais.
Até que um dia, acontece algo que iria transformar a vida de John para sempre. Ele conhece Savannah, em um dia de sol na praia. Sendo um verdadeiro cavalheiro, John salva a bolsa da moça e isso resulta... bem, no que resultou rs. 
Os dois começam a andar juntos, passam a se conhecer melhor, logo se apaixonam.
Os dias em que os protagonistas vão se conhecendo são os melhores, foi delicioso ler sobre as aventuras de John e Savannah. O modo como ambos vão se envolvendo, é uma coisa muito linda de se ler, aliás, a história é narrada por John, então temos a oportunidade de saber como ele pensa, sente. Foi realmente muito interessante ler sob o ponto de vista de um cara haha, já havia lido em "Diário de uma Paixão", mas o Noah sempre me pareceu um homem perfeito demais para ser real. No entanto, John parece mais perto da realidade. Ele não é perfeito, tem um monte de defeitos, é teimoso, não é santo, como ele mesmo diz. Mas, é uma pessoa que vai amadurecendo demais, e sobretudo, tem a incrível e rara capacidade de amar verdadeiramente. 
No decorrer da história, vamos acompanhando o cotidiano dele, sua relação difícil com seu diferente pai. O romance entre John e Savannah é muito lindo, mas também é mostrado de um jeito bem real, Sparks consegue trazer encanto até mesmo ao retratar a realidade nua. 
Tudo que é bom dura pouco, John se vê obrigado a voltar para o exército, o que aconteceria com o relacionamento que cultivara? O rapaz e Savannah decidem se comunicar por meio de cartas durante o tempo em que John ficaria distante... e também combinam algo mágico, em toda lua cheia olhariam para o majestoso satélite natural e lembrariam do maravilhoso tempo em que ficaram juntos.
Sempre acontece algo trágico que causa uma grande reviravolta nos livros do Nick, o dia 11 de setembro é o responsável pelo afastamento de John e Savannah.
Uma carta muda tudo...
A partir daí, se desenrolam difíceis dias que carregam em si, outra coisa muito bonita... o desenvolvimento do relacionamento de John com seu pai. O protagonista começa a perceber o grande homem que o criara, é realmente emocionante observar tudo isso, é na verdade... gracioso.
O livro fala sobre amor, o amor verdadeiro que tem o poder de transformar vidas. Não é apenas sobre o amor entre homem e mulher, mas o amor pela família e pelos amigos.
Eu li cada página sentindo um pouco de tudo o que John sentia, ele teve de fazer escolhas extremamente difíceis, o destino o surpreendeu de um jeito...
Eu sorri, chorei, suspirei, ri, me enraiveci...
Apreciei a descrição de cada cena em que John e Savannah passavam juntos, seja brigando ou aproveitando a vida debaixo do sol. Me deliciei com cada ação.
O Amor que John sente é realmente incrível, grandioso, puro e muito difícil de encontrar, nos dias de hoje. Aliás, eu me pergunto se isso existe. Pensando bem, conheço alguém que a meu ver, ama do mesmo jeito que John. 
Gente, esse livro é realmente incrível, traz lições valiosíssimas, mas a maior delas é aquela que diz que amar significa querer a felicidade da pessoa amada, mesmo que esta não seja ao nosso lado.
Vou ser sincera, desconfio um pouco do amor de Savannah por John..., o que torna o livro ainda mais real para mim. Não sou muito fã de livros que tratam de realidade, mas Sparks traz o melhor dessa realidade. Emocionante, surpreendente...!!!
John nos mostra reflexões incríveis sobre a vida, amadurecemos junto com ele.
O desfecho da história surpreende!
Me identifiquei com a Savannah, pois ela é uma moça toda certinha e estudiosa haha. Mas, eu no lugar dela, teria feito coisas bem diferentes.
Por outro lado, me identifiquei com o John no tocante ao amor.
Sei bem como é isso, não poder ficar junto com a pessoa amada, ter de reprimir o sentimento, sacrificar-se em favor da felicidade do outro... é tenso! 
Ler o livro, me fez entender a minha própria história. Preciso ser forte como John, mas não tão burra quanto ele (em algumas partes do livro, fuuuuuuu :@)!! LOL.
Acho que já falei demais, mas é porque me empolguei! Porém, devo dizer que esse livro não supera "Diário de uma Paixão" *--------------*
A propósito, o livro é bem parecido com o filme, embora a Savannah do livro seja morena  (não adianta, imaginei a Savannah da Amanda Seyfried e o John do lindo maravilhoso Channing Tatum haha).
Leiam!! Deixo aqui alguns dos trechos mais emocionantes do livro ;)


“A vida não é justa. Mas também aprendi que é possível seguir em frente, não importa quanto pareça impossível. Com o tempo, a dor… diminui. Pode ser que não desapareça completamente, mas depois de um tempo não é massacrante.”


“Finalmente compreendi o que o verdadeiro amor realmente significa (…) O amor significava pensar mais na felicidade da outra pessoa do que na própria, não importa quão dolorosa seja sua escolha.”

"O que significa amar verdadeiramente uma pessoa?
Houve um tempo em que eu achava saber a resposta: significa que eu iria pensar nela mais do que em mim mesmo, e passaríamos o resto de nossas vidas juntos. Não seria difícil. Ela me disse certa vez que a chave para a felicidade é ter sonhos realizáveis, e os dela não eram nada fora do comum. Casamento, família… o básico. Isso significa que eu teria um emprego etável, uma casa com cerca branca e uma minivan ou SUV grande o suficiente para levar nossos filhos à escola, ao dentista, ao treino de futebol ou recitais de piano. Dois ou três filhos - ela nunca foi clara, mas meu palpite é que quando chegasse a hora, ela deixaria a natureza seguir seu curso e Deus tomar a decisão. Ela era assim - religiosa, quero dizer - e suponho que esse tenha sido um dos motivos pelos quais me apaixoneipor ela. Independentemente do que acontecesse em nossas vidas, eu me imaginava ao fim do dia deitado na cama ao lado dela, nós dois abraçados enquanto conversávamos e ríamos, perdidos nos braços um do outro."

"Quando eu penso em você e eu e no que compartilhamos, sei que para os outros seria fácil menosprezar o tempo que passamos juntos simplesmente como um subproduto dos dias e noites à beira-mar, uma “aventura” que, a longo prazo, não sinifica absolutamente nada. É por isso que não conto às pessoas sobre nós. Eles não iriam entender, e não sinto necessidades de explicar, simplesmente porque sei em meu coração como foi real. Quando penso em você, não posso deixar de sorrir, sabendo que você me completa. Eu te amo, não só agora, mas sempre, e sonho com o dia em que você vai me abraçar novamente."

"O jeito que ela me olhou fez o passado retornar como uma avalanche e por um momento revivi cada emoção, cada esperança e cada um de nossos sonhos."

"Você não ouviu, mas eu já disse que te amo, é que foi em pensamento."

"Você quer que os outros te entendam, quando na verdade, nem mesmo você se entende."

"A única coisa que passa pela minha cabeça é que queria estar com você agora, segurando sua mão e olhando seu sorriso."


Eu não consigo parar de ouvir as lindas músicas do filme!!!!

Little House - Amanda Seyfried


Paperweight - Joshua Radin


Set the fire to the third bar - Snow Patrol feat. Marta Wainwright



4 comentários:

  1. Oi! A principal característica de Savannah era ser morena e no filme ela é loira! Que raiva que isso me deu! Mas enfim, como na maioria das vezes os filmes não correspondem muito bem com os livros. Achei a Savannah uma vaca! Poxa, ela poderia ter esperado o Jonh e tal. Mas compreendo que ela teve seus motivos. Achei muito bonita a lição final do livro e me fez derrubar algumas tantas lágrimas. E depois de ler esse livro não consigo ver uma lua cheia sem me lembrar dessa estória! kk.
    Bjs, Ruama.
    http://esquiloscorderosa-ruama.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu notei. Mas não consegui imaginar outra Savannah que não a do filme kkkk
      Siim, esse livro é realmente maravilhoso, o Nick sempre arranca lágrimas de nós, pobres leitoras rsrs

      ;*

      Excluir
  2. Ooi Thay! Adoro seu blog. Estou sempre por aqui vendo seus post's...
    adorei cuidar do Dobby tbm kkkkkk!

    Li o "Querido John" mês passado e tbm não gostei do final :( é muito frustante quando as coisas não acabam como a gente imagina né? Eu imaginei que Tim morreria e que John e Savannah poderiam ficar juntos... e tbm não gostei John vender a coleção de seu pai e doar para o tratamento de Tim...
    Fiquei revoltada com o autor kkkkkk, mas ele passou uma lição muito bonita sobre o verdadeiro amor. As vezes as coisas têm que tomar rumos diferentes para nos ensinar algo...

    Parabéns pelo blog!

    Beijos, Dani do PIC Jr (lembra, né? rsrs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Dani, que saudade!!!! Que bom que gosta do blog *-*
      Concordo com você, me decepcionei demais kkkkkk mas no fim, ficou essa bela lição. O Sparks tem essa triste mania de contrariar os leitores e criar finais trágicos >.<

      Obriigada
      Você ainda está na Unicamp??

      Bjux

      Excluir