Letters* When I was a little girl

Eu não me canso de levantar todos os dias e sorrir por estar viva! Sim, enfrento períodos 
tensos de depressão, em que tudo parece estar uma porcaria (quem nunca...?); mas daí eu me recordo do quão bom é ver o sol brilhar, do quão bom é sentir o vento gelado que faz meus cabelos dançarem, ver as pessoas sorrirem... Me lembro dos meus dias de infância, quando eu não tinha nenhuma dessas preocupações atuais. Eu não tinha noção de nada ainda e como era bom não saber. É realmente bom não poder saber o futuro, seria catastrófico se soubéssemos. Tento me lembrar de como eu era antes da luta, é difícil... mas ainda guardo resquícios daquela garotinha que amava bagunçar a casa e não acreditava em Papai Noel (sempre fui meio desconfiada). Será que ela teria orgulho de mim? Desde pequena eu era meio "et", haha, nunca consegui me encaixar direito nesse mundo...mas hoje eu sei que ser diferente é a melhor coisa que poderia ter me acontecido! Eu sempre tive tendências detetivescas, queria ser astrônoma/cientista. Lembro-me de que uma vez encontrei pedaços de cartas rasgadas no lixo da casa da minha avó e juntei-os todos, para poder lê-las (com 7 anos)! Eu achava que os genes das lagartixas poderiam ser introduzidos nos humanos, de modo que eles se regenerassem... Gostava de ler sobre buracos negros, de jogos de luta e aventura. Eu amava brincar de queimada, Três Espiãs Demais, amava interpretar, ler meu livro de histórias bíblicas e ajudar os animais. Mas, também gostava de caçar morcegos com meu primo (nunca tive medo de animais peçonhentos/nojentos). Bancava a cabeleireira e sempre destruía o cabelo das minhas Barbies. Conversava com plantas e animais (coisa que faço até hoje) e jurava que algum dia teria um abrigo para cachorros e gatos. Eu gostava de fazer experiências, certa vez costurei meu pé... E não doeu :O Ficava só observando os outros, gostava de aprender coisas e depois usá-las para algo bom.
O que sobrou dessa menininha? 
Não me tornei astrônoma, faço Letras haha, mas sim... ainda sou apaixonada pelas estrelas e pelos buracos negros. Meus dons detetivescos só aumentaram!! Sou cientista da língua(gem). Minha vida se tornou uma aventura e luta ao mesmo tempo. Não bagunço mais a casa, bagunço meus pensamentos. Não caço mais morcegos, caço ideias ruins para depois exterminá-las. Creio que a criança que eu fui teria sim orgulho do que sou hoje, mas me daria umas pancadas por conta de certas coisas. 
Ela se sentiria feliz por saber que ainda hoje, eu procuro fazer o bem. Sorriria por saber que minha fome por conhecimento ainda não foi saciada. 
Estaria super orgulhosa por eu continuar determinada a acreditar nos meus sentimentos, mesmo depois de todo pontapé que a vida me deu.
Ela me diria que eu não preciso de mais nada para ser feliz, que eu tenho a mim mesma, a Deus e minha família (amigos) que eu sou incrível e sempre vivi com alegria por ser quem eu era. Me diria para não esquecer do que eu sou, por nada nem ninguém.
Essa garotinha vem me visitar de vez em quando, ela vive em mim...



Nenhum comentário:

Postar um comentário