Letters* Uma mente sem lembranças

Eu parei de falar a respeito, mas isso não significa que esqueci. Criei o hábito de esconder de mim mesma os pensamentos que ainda me afetam e não sei se isso é bom ou ruim.
Me pergunto por que raios cheguei a isso, aliás, quando paro para refletir, eu nem mesmo entendo o que está acontecendo. É como se a ficha ainda não tivesse caído, sabe aquela sensação de que você está num sono profundo, enquanto vive no corpo de outra pessoa?
É isso, parece que não sou eu quem vivo, parece que estou sob a forma de outro alguém, ou então, que todas as minhas memórias relacionadas ao meu problema desapareceram.
Eu só sinto que há algo, lá no fundo, me chamando a atenção... mas não consigo acessar, porque se trata de uma memória perdida.
Não vou atrás disso, não tento recuperar, porque alguma outra coisa me repele.
Acho que eu quis tanto esquecer que acabei tendo o meu desejo realizado.
A dor foi tanta que o meu inconsciente suprimiu todo o meu sentimento. Não que eu tenha ficado malvadona e sem coração como a Elena, em The Vampire Diaries... mas eu apaguei.
Porém, tudo deixa marcas, eu sinto bem no fundo do meu coração tudo aquilo que me recuso a lembrar.
Isso incomoda. Não estou triste, nem nada... mas estou nostálgica.
Sei que tudo ocorreu da forma como deveria ter ocorrido, sei que foi o melhor pra mim. Me sinto extremamente bem, estando livre dos problemas que meu amor me causava, livre dos insultos, livre de uma pseudo-relação destrutiva, livre da raiva e de toda a escuridão. Mas eu também sinto um vazio.
Porque entre tantas coisas ruins, são das coisas boas que eu me lembro.
Basta eu ouvir certas músicas, basta eu parar de estudar por um minuto, basta eu assistir uma série, anime, dorama... basta eu desviar o olhar, basta eu parar de falar. Aquilo volta com vontade de me corroer, mas eu me tornei tão resistente a isso que não faço nada além de ficar inerte. 
Vazio (                                                    )
Não, não quero mais pensar nisso. Não quero lembrar de como era. Só quero ficar mergulhada no meu vazio e na minha quase-amnésia.
Mas às vezes eu sinto meu sentimento tão perto, clamando para que eu me lembre dele...
É como se eu tivesse mergulhado no Rio Lethe, mas alguma parte de mim não esqueceu de tudo. Que ótimo, estou que nem o Percy quando tem sua memória apagada por Hera, mas ainda assim não se esquece de Annabeth. A diferença é que a minha lembrança é muito fraca, é como se eu lembrasse apenas do rosto, mas não lembrasse do sentimento.
É como se eu fosse o Joel de "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças"... mas não estou relutando tanto, meu inconsciente está.



Já sei onde isso termina, já vivi isso antes e não gosto nada de repetir a experiência.
Portanto, peço a Deus que retire de mim qualquer resquício do que um dia já senti.
É estranho o fato de isso é o que há de mais meu...ninguém sabe.
É algo que me traz um pouco de bem, ainda que tenha culminado em dor.
Acho que sou eu, querendo transforma pedra em flor.






Nenhum comentário:

Postar um comentário