Letters* Inércia

A lei da Inércia de Newton tem sido tão bem aplicada na minha vida. 
Ele disse: “considere um corpo no qual não atue nenhuma força resultante. Se o corpo estiver em repouso, ele permanecerá em repouso; se o corpo estiver em movimento com velocidade constante, ele continuará neste estado do movimento.”
Pois digo que o meu corpo parou e meu coração resolveu aderir à paralisação.
Não sinto vontade de tentar, não sinto vontade de gritar, de passear, de andar, de lutar, de conversar, de ler, de ouvir... quero apenas ficar encolhida na porta do banheiro, na inércia.
Já não sei o que quero, tomei um tiro (mais um) e virei zumbi. Meus olhos estão vermelhos e carregados de amargura.
Nem vontade de reclamar eu tenho. Quis sumir por uns tempos, quis ficar enjaulada dentro de mim mesma, porque viver doía. 
Mas daí eu lembrei de Deus e essa foi a força necessária para me tirar do estado de repouso.
Ele que sempre esteve ao meu lado, disse com voz terna: "isso vai passar, você vai enfrentar essa também! Estamos juntos."
Foi aí que eu sorri e fiquei mais calma. 
Abracei minha mãe e deixei que ela confortasse meu coração.
Quem me conhece direito? Quem sabe das coisas que ando sentindo e pensando? Quem se importa comigo? O que eu quero da minha vida? Vale a pena o risco? Essas são algumas das questões que andaram  rondando os corredores cíclicos da minha cabeça.
Respostas? Nenhuma ainda. Mas sempre achei que perguntas são mais importantes que soluções.
Com o tempo eu vou descobrindo o que é e o que não é.
Sei lá porque eu amo, sei lá porque eu sou assim tão preocupada com os outros, sei lá porque eu prefiro sofrer do que ver meus amigos sofrendo.
Sei lá porque eu não consigo fingir que não me importo, sei lá porque eu quero ajudar quem me jogaria num poço sem pensar duas vezes, sei lá porque eu sou assim tão eu.
Cara, eu estou pagando um preço alto por isso. Mas eu realmente acho que não existe nada melhor do que poder ser você mesma.
O meu eu mesma não agrada muita gente, mas eu não estou nem aí. Nunca liguei muito para o que os outros pensam de mim, adorava ir para a escola com meias "par sim-par  não" ou com brincos diferentes em cada orelha.
Sempre quis passar desapercebida pelos olhares das pessoas, sempre gostei de ficar na minha, meio anti-social. 
Mudei bastante, agora eu gosto de falar com todos e olhar para a multidão.
Só que tem horas que meu "velho eu" dá as caras e me faz lembrar que na verdade, eu gosto de paz e aprecio ter meus momentos de solidão.
Preocupada, esse adjetivo me define. Estou preocupada comigo e nada me faz apagar essa preocupação.
Deus me dá a mão e me cobre com Seu manto, mas eu também preciso agir.
Peço desculpas ao Senhor por ter me afastado tanto, mas sei que Ele sabe os motivos de tudo isso.
Ele sabe que eu sempre estive ali, mesmo que não aparecesse.
Deus é bom demais, Ele consegue plantar alegria no meu coração infértil. Ele me faz lembrar de tudo o que já suportei.
Ele me faz lembrar de quem eu sou.
Seja lá o que estivermos passando, é certo que isso passa. Afinal, até a uva passa. Brincadeira rsrs, essa piadinha é que é passada.
É tempo de mais uma vez abrir os olhos e encarar a vida, sem esperar o pior ou o melhor. É hora de colocar um óculos estilo Pollyana e tentar ver o lado bom do mundo, porque eu sei que isso existe.
Newton é também o autor da lei que diz que para toda ação existe uma reação, pois bem, estou agindo e posso sentir o mundo reagindo ao que eu sou. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário