Book* Coração de Tinta - Cornelia Funke

Hi, my lovely friends! Conforme o prometido, aqui está o post-resenha de Coração de Tinta *-*

Título original: Inkheart
Autora:  Cornelia Funke
Editora: Cia das Letras 
Páginas: 456

Coração de TintaSinopse
Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição.
É que Mo tem uma habilidade estranha e incontrolável: quando lê um texto em voz alta, as palavras tomam vida em sua boca, e coisas e seres da história surgem como que por mágica. Numa noite fatídica, quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração De Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de "Coração De Tinta" um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente sequestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.Fonte: Skoob

Assisti a adaptação cinematográfica de Coração de Tinta há muito tempo (durante o ensino médio) e só agora consegui ler o livro. Carambola, foi a MELHOR coisa que fiz nessas últimas semanas!
Dá para sentir a paixão da autora pelo universo da leitura!
Este é um livro que te faz pensar sobre ler e, assim, desperta aquele sentimento de identificação e alegria por saber que existem pessoas como você: amantes das letras.
Mo é um médico de livros, mas além disso, tem o poder de dar vida às estórias que lê. Tal dom pode ser uma benção, mas uma maldição ao mesmo tempo. No caso em questão, a habilidade acaba lhe ocasionando um série de desventuras! Mo vive em busca de um exemplar de Coração de Tinta e quando finalmente encontra um, tem de fugir de certas pessoas que o ameaçam. Porém, a pacata vida dele e de sua filha Meggie, na tranquila casa em que viviam, acaba sendo bagunçada por Dedo Empoeirado, um saltimbanco provindo diretamente das páginas de Coração de Tinta. Tudo o que o personagem quer é voltar para o seu mundo, já que por causa de Língua Encantada (Mo), ele foi retirado de lá. 
A partir desse ponto, a aventura começa! Meggie não compreende bulhufas do que está ocorrendo, pois vive em meio a um grande mistério, Mo jamais contara para a filha o porque de tantas coisas estranhas ocorrerem na vida dos dois.
O leitor meio que vive na pele de Meggie, pois também não tem as respostas para todas as dúvidas que surgem (mas como eu já havia assistido o filme, já conhecia os segredos). 
Pai, filha e personagem partem para a casa da tia da mãe de Meggie: Elinor Loredan.
Me identifiquei muuito com ela, pois esta é uma maníaca por livros haha! Fiquei morrendo de vontade de visitar a biblioteca da Sra. Loredan! É fantástica!
Mas por que eles fizeram essa viagem? HAHA isso você terá que descobrir!
Posso adiantar que os quatro (+ a esperta marta de estimação de Dedo Empoeirado) acabam indo parar na aldeia do terrível Capricórnio! O grupo se mete em várias enrascadas, mas também conhecem personagens incríveis. 
Tudo isso por conta de um livro haha! 
Até mesmo Fenoglio- o autor de Coração de Tinta - participa de toda essa loucura que é o enredo de Coração de Tinta (o livro que lemos rs, não o livro sobre o qual o livro fala - que confusão). 
Meggie, a protagonista, tem de lidar com vilões horríveis (sim, horríveis!! Eles tem a coragem de incendiar bibliotecas) com apenas doze anos de idade, sem contar com o fato de que todos escondem dela os porquês de toda a desventura.
Assim como o pai e a tia-avó, Meggie é uma apaixonada por livros, mas o quão estranho é fazer parte de uma estória digna de ser obra literária!! Uma coisa é ler aventuras, outra coisa é participar delas rs! Como ela fará para escapar das garras de Capricórnio? Será que Dedo Empoeirado conseguirá voltar para seu livro? Fenoglio conseguirá colocar ordem naquilo que escreveu? Onde estará a mãe de Meggie? 
Adorei ler cada uma das páginas de Inkheart, pois nelas encontrei muita aventura, emoção, lições de vida, dicas literárias, ação, luta etc!
Me afeiçoei demais por Dedo Empoeirado (ele me lembra o Sirius - padrinho do Harry)! 
Anotei várias frases que encontrei durante a leitura! Pude entrar num livro, vendo personagens do próprio livro entrarem dentro de livros, pensando sobre livros haha! Tem coisa melhor que isso? Você participa de algo que estão contando, sente na pele, vive o que lê. Adoro livros em que o autor fala diretamente com o leitor (coisa que Machado de Assis faz bastante) ou fala sobre o ato de ler (o que encontramos em Coração de Tinta). Não obstante, os capítulos são iniciados com citações de grandes obras literárias *-* As ilustrações, feitas pela própria Cornelia Funke, são lindas *-* fiquei admirando a capa por vários minutos.
Esse livro fez com que eu refletisse sobre muitas coisas! Até que ponto a estória pertence ao autor? Até que ponto nós, leitores, influenciamos uma estória? Até que ponto um livro nos influencia? 
Minhas reflexões vão longe, pois estudo isso na faculdade! A partir de uma perspectiva intitulada discursivista encontrei possíveis respostas para essas questões, qualquer dia escrevo sobre isso aqui. Estou louca para ler a continuação Sangue de Tinta (e depois, o último livro da trilogia Morte de Tinta).
Coração de Tinta é uma leitura para amantes dos livros!

Algumas frases que me marcaram:


“Existe algo mais belo neste mundo que as letras? Sinais mágicos, vozes dos mortos, peças de mundos maravilhosos, melhores do que este. Elas consolam e espantam a solidão. São guardiãs de segredos, arautos da verdade… ”

“Quando você leva um livro numa viagem acontece uma coisa estranha: o livro começa a colecionar lembranças. Depois basta abri-lo, e você já está de novo no lugar onde o leu. Tudo volta, já nas primeiras palavras: as imagens, os cheiros, o sorvete que você tomou enquanto lia... Acredite, os livros são como papel pega-moscas. Não existe nada melhor para guardar lembranças do que páginas impressas.”

“Os livros tem que ser pesados, por que o mundo inteiro está dentro deles”

“Odeio ter que deixar meus livros sozinhos por mais de um dia.”

“O livro que ela começara a ler estava debaixo do travesseiro. Cutucava o ouvido dela com a ponta da capa, como se quisesse chamá-la de volta para suas páginas.”

“- É um sonho! - ele sussurrou novamente. - Apenas um sonho. O sol vai nascer e tudo vai ter desaparecido. Isso mesmo.”

“Eu acho que ela se alimenta de letras. Toda a casa dela está atulhada de livros. Ela os prefere à companhia de seres humanos.”

“Sabe, acontece uma coisa curiosa com os escritores. A maior parte das pessoas não consegue imaginar que os livros são escritos por pessoas iguais a elas. Normalmente elas supõem que os escritores já estão mortos, e quase ninguém imagina que possa cruzar com um deles na rua ou no supermercado. As pessoas conhecem as suas histórias, mas não os seus nomes, e muito menos o rosto. E a maior parte dos escritores gosta disso.”

“As palavras são imortais.”

“Quando você leva um livro em uma viagem, acontece uma coisa estranha: o livro começa a colecionar lembranças. Depois basta abri-lo, e você já está de novo no lugar onde o leu. Tudo volta, já nas primeiras palavras: as imagens, os cheiros, o sorvete que você tomou enquanto lia… Acredite, os livros são como papel pega-moscas. Não existe nada melhor para grudar lembranças do que páginas impressas.”

"Não havia um lugar para viver. Os livros eram o único lugar onde havia compaixão, consolo, alegria… e amor. Os livros amavam a todos que os abriam, ofereciam proteção e amizade sem exigir nada em troca, e nunca iam embora, nunca, mesmo quando não eram bem tratados. Amor, verdade, beleza, sabedoria e consolo perante a morte.”

“Afinal de contas, o nosso mundo não tem tolerância nem muita compreensão com as pessoas que são um pouco diferentes.”

“Havia livros espalhados por toda a casa. Eles não ficavam apenas nas estantes, como na casa das outras pessoas. Não, ali eles se empilhavam debaixo das mesas, em cima das cadeiras, nos cantos dos quartos. Havia livros na cozinha e no banheiro, em cima da televisão e dentro do guarda-roupa, pilhas pequenas, pilhas altas, livros grossos e finos, velhos e novos…livros.”

“Ás vezes queremos bater em todo mundo, mas não adianta nada, absolutamente nada. A dor permanece.”

“- Você sente falta dela?
- Ás vezes. De manhã, á tarde, á noite. Quase sempre.”

“Quis gritar, quis praguejar, esbravejar, mas nenhum som saiu de sua boca. Ela só conseguiu chorar.”

“Mo virou-se de costas mais uma vez. Ergueu a pasta que estava em cima da mesa, na qual guardava os papeis coloridos para as folhas de guarda, e começou a folheá-los distraidamente. “Todos os livros deveriam começar com um desses papéis”, ele dissera uma vez para Meggie. “De preferência com um escuro: vermelho-escuro, azul-escuro, de acordo com a capa. Quando você abre o livro, é como um teatro: ali está a cortina. Você arrasta para o lado, e a apresentação começa.”

"Ninguém notou que ela quase sufocava de tanto medo, pois havia vestido sua couraça, sua couraça impenetrável, bastante útil, sob a qual sempre se escondera em tempos difíceis. A cada golpe de dor, ela se tornava um pouco mais dura […].”

“Não é estranho como um livro fica mais grosso depois de ser lido várias vezes? Como se a cada vez ficasse algo grudado entre suas páginas. Sensações, pensamentos, ruídos, cheiros… E então, quando folheia novamente o livro depois de muitos anos, você descobre a si mesmo ali, um pouco mais novo, um pouco diferente, como se o livro tivesse guardado você, como uma flor prensada, estranha e familiar ao mesmo tempo.”

“— Sinto muito, Língua Encantada, não acredito em ninguém por princípio, você já deveria saber. Somos todos mentirosos quando nos convém.”

"Fenoglio: Ah, sim. Você quer ser escritora...
Meggie: Você fala como se isso fosse algo ruim.
Fenoglio: Não, não. Apenas solitário. Às vezes, o mundo que você cria parece bem mais amigável e vivo do que o que você realmente habita.
Maggie: Eu queria poder estar nele..."

“- Elinor, minha cara, você parece ter nascido na história errada - disse Dedo Empoeirado em algum momento.
Eram as primeiras palavras que ele dizia desde que haviam partido.
- Na história errada? Na época errada, você quis dizer. Sim, já pensei nisso muitas vezes.”

“Como Mo dissera: o ofício de escrever história tem algo a ver com a magia.”

“[…] Algo sussurrou dentro dela, mas ela não quis ouvir. Não, sua história tinha que ter um final feliz. Tinha que ter! Ela nunca gostara de histórias que não terminavam bem.”

Trailer do filme:


Sobre Hopi Hari, livros e música

Hi, my lovely readers! Eis que a sumida resolveu dar o ar da graça!
Faz tempo que eu queria contar para vocês algumas coisas a respeito dos meus últimos dias...
Minha vida tem sido uma mescla de desastres e maravilhas.
No fim do mês de Agosto, fui ao Hopi Hari com o onii-chan e finalmente pude aproveitar o parque (da última vez, eu mal fiquei por duas horas lá). 
Acreditem se quiserem... mas foi eu chegar lá e começar a andar que... tchanam, a sola do meu tênis simplesmente se soltou!
Imaginem a cena!! Eu fiquei desesperada, o que me fez sentir vontade de sentar e chorar na fonte Looney Tunes. Pessoas não acreditam quando eu digo que a Lei de Murphy me ama, mas o onii-chan está de prova, ele viu que isso  é verdade. O único produto em falta em todas as lojas do parque eram os chinelos! E naquela semana, tinham doado todos os calçados encontrados no Achados e Perdidos. 
Porém, o dia foi salvo pelos atenciosos funcionários do parque! Aliás, devo agradecer o onii-chan por me acompanhar durante toda essa jornada, me dando força e pagando mico comigo! 
O pessoal da manutenção de brinquedos acabou dando um jeito nos meus tênis, eles colaram as solas com cola de madeira haha. Tudo bem que não ficou uma maravilha, mas deu para andar.
Graças a Deus conseguimos ir por três vezes na Montezum (que montanha russa MARAVILHOSA!), uma vez na montanha russa do escuro, na roda gigante (me arrependi, por conta da lerdeza...) etc.
Não enfrentamos muitas filas, graças aos bilhetes VIPS! Haha.. Ai, eu me diverti bastante! Nada como sentir adrenalina e gritar muuuuito. É uma pena que eu tenha constatado que já não me assusto com nenhum monstro da Hora do Horror :/
As casas do terror de lá são bem montadas! Eu e o onii-chan assustamos algumas crianças (oh que maldade haha), mas saímos molhados de uma dessas construções (a menina do exorcista resolveu vomitar - espirrar água - justo em mim!). 
Enfim, essa sexta-feira foi fantástica, cheia de emoções e confusões!
Acordei toda arrebentada no dia seguinte, com o corpo doendo demais.. mas ok! Valeu a pena!
As semanas se seguiram com muito estudo! A prova de japonês estava se aproximando! Graças a Deus, consegui tirar uma boa nota! Ahh comecei a dar aulas de português para uma amiga japonesa, juntamente com a Ana!
Almocei e jantei com amigos da faculdade, bati muito papo, tornei a cultivar o hábito de ler no ônibus!
Aliás, ontem terminei o maravilhoso livro Coração de Tinta (pretendo fazer resenha)!
Minha memória não está lá muito boa, pois acredito que mais algumas outras coisas interessantes aconteceram nesse meio tempo.
Bom, deixe-me ver...Quanto aos últimos dias (dos quais eu me lembro mais), devo dizer que reviravoltas aconteceram. Isso vai desde o meu novo cabelo vermelho escuro até o rompimento de amizades.
Não sou mais adolescente, mas me encontro diante de muitos conflitos que geralmente surgem nessa idade. Porém, acho que é besteira dizer que certas coisas acontecem só na adolescência!
Eu estava ficando louca da vida pois não podia verbalizar meus sentimentos e pensamentos. Sabe quando você engole uma coisa com medo das consequências que ela pode causar? Pois bem.
Freud disse que as coisas recalcadas (reprimidas) acabam sempre encontrando um meio de escapar de dentro de nós. Tais sentimentos reprimidos podem vazar sob a forma de doenças (como gastrite, estresse, insônia etc) ou sonhos, atos falhos, atitudes etc.
Como eu não queria ficar com a gastrite mais atacada ainda, resolvi colocar os pingos nos is e desengasgar. 
Quase tudo está resolvido, me sinto aliviada por isso!
Cansei de ouvir conselhos de quem se acha dona da verdade, cansei de pessoas falsas, cansei de sorrisos artificiais, cansei de superficialidade. E estou gritando isso para todo mundo ouvir: QUER IR EMBORA? VÁ. NÃO TE AGRADO MAIS? ADEUS.
Agora, vamos parar de pensar em dilemas! Pensemos em coisas boas! Aqui vai uma pequena lista de músicas que ando ouvindo!

Dancing On My Own - Robyn
Gente, eu me identifico DEMAIS com essa música! Realmente.. eu sigo a vida dançando sozinha e é muito bom!




Your Love is a Lie - Simple Plan


After Afterall - William Fitzsimmons



E a MELHOR de todas:
God be Praised - Elevation Worship


Quero agradecer a DEUS por toda a alegria que sempre me deu (e ainda dá). Eu te Amo, Senhor!

Quer ouvir mais músicas das minhas playlists? Acesse (AQUI)

Letters* O livro

Ele quer dizer algo pra mim... parece que ouço o sussurrar das palavras.
Toda vez que sinto  um grande vazio na mente-coração, uma dúvida ou vontade de descobrir alguma coisa sobre o mundo (e sobre mim), vou até uma estante cheia de livros.
Vagueio pelos corredores incessantes, tocando em cada um deles, esperando por aquele que irá me convocar: ei, leia-me.
Pode me chamar de maluca ou sei lá o quê, mas acredito no poder imenso que os livros tem sobre a minha vida.
Seria magia?
Desde pequena... percebo que a minha vida está diretamente conectada aos escritos.
Todos os amigos, as experiências, os amores, as grandes conquistas estão relacionados com alguma obra.
E sabe o que é mais incrível? Acredito que com você não é diferente. 
Está de saco cheio da mesmice? Quer uma reviravolta? Leia um livro. Eles são muito mais poderosos do que aparentam. Não se engane com os trajes inofensivos desses objetos, pois isto é apenas um disfarce. 
Afinal de contas, se todos descobrissem a tamanha fonte de poder que um livro é, o mundo estaria perdido. Guerras se iniciaram, pois as pessoas fazem coisas horríveis para conquistar o poder e a glória.
Deixe como está, apenas aqueles de coração puro podem ver um livro como ele realmente é. Isso me lembrou do espelho de OJESED, somente o Harry podia ver a pedra filosofal, pois seus anseios em relação a esta eram nobres.
Ainda não acredita nessas propriedades mágicas? Pois bem, deixe eu lhe contar alguns exemplos de coisas que ocorreram na minha vida misteriosamente graças a algum livro. Me pergunto se eles não tem vida própria... Pois nada pode explicar os fatos que outrora ocorreram.
Li Harry Potter e mal sabia que, inspirada em Hermione, me tornaria a melhor aluna da sala e isso garantiria a faculdade dos meus sonhos. Não sabia, tampouco, que iniciaria uma amizade duradoura e verdadeira graças a uma conversa sobre essa obra. 
Li O Diário da Princesa e isso me fez superar as minhas crises adolescentes. 
Li O Diário de Uma Paixão e descobri quem eu amava de verdade, podendo tomar alguma atitude sobre isso e... graças a Deus, tais acontecimentos me renderam momentos inesquecíveis que acabaram, mas em meu coração durarão para sempre.
Li Percy Jackson, fiz uma resenha nesse blog e consegui conquistar um pouco mais a atenção de uma certa pessoa, meu escrito sobre um escrito fez com que essa criatura tomasse gosto pela leitura. Isso realmente me deixou feliz.  
Li Crepúsculo (sim, Crepúsculo u.u) e isso fortaleceu uma amizade, além de fazer eu acreditar que pessoas lesadas também podiam se dar bem. Ok, a leitura também me levou a perseguir um cara na escola.. but it's ok kkkkkkk 
Li Fazendo meu Filme e isso me ensinou que devo lutar pelos meus sonhos, mesmo estando com o coração arrebentado.
Ponto de Impacto fez com que eu me apaixonasse por Biologia.
O Mundo de Sofia foi um curso magnífico sobre os mais diversos assuntos, além de me ajudar a ter notas melhores.
O Diário de Anne Frank me trouxe uma amiga (a própria Anne) que fez com que eu aprendesse o quanto a vida é bela.
Meu Livro de Histórias Bíblicas (apesar de eu não ter me tornado testemunha de Jeová) foi meu primeiro contato com as maravilhosas narrativas da bíblia. A estória de Salomão é a minha preferida.
O Mágico de Oz me ensinou que nada é tão maravilhoso quanto as coisas que já temos.
A Princesinha me ensinou que mesmo com todo sofrimento, sempre há a chance de se reencontrar com alguém que está longe de você e, mesmo que tudo esteja ferrado.. sempre haverá algo bom.
O Jardim Secreto me mostrou que sempre existe um lugar e/ou alguém nas localidades mais improváveis possíveis. Sabe quando você muda de casa e vai para um local super chato? Pois é, é bem provável que nesse lugar haja algo especial.
Orgulho e Preconceito me ensinou que o amor pode transformar as pessoas mais insuportáveis em criaturas boas.
A Fantástica Fábrica de Chocolate me fez ver que uma oportunidade de ouro pode surgir para aqueles que tem o coração bom e vivem numa situação ruim.
Luna Clara e Apolo Onze me mostrou que apesar de todos os desencontros pelo caminho, sempre encontramos quem devemos encontrar.
Comer, Rezar, Amar foi uma verdadeira renovação mental/espiritual em minha vida.
Pollyana me fez ver o lado bom de todas as coisas.
Jane Eyre me deu a esperança de que depois da tempestade sempre vem o sol. O destino sempre nos dá uma segunda chance.
A Garota Americana me fez gostar demais de No Doubt  e Gwen Stefani haha!
O Código Da Vinci fez com que eu me apaixonasse por investigações. Também me fez ver que a vida pode ter mil interpretações. Se Jesus realmente teve algo com Maria Madalena.. eu não sei, mas qual é o problema se teve? Ele veio à Terra como humano e todo humano ama dessa forma.
A História Sem Fim me fez ver que eu posso me aventurar eternamente se tiver um livro em mãos.
A Sombra do Vento fez com que eu tivesse certeza de que a vida dos leitores está mais conectada com uma obra/autor do que imaginamos.
Sussurro fez com que eu me apaixonasse pelo Patch haha brincadeira, não foi apenas isso! Este livro me mostrou que a qualquer momento a vida pode te surpreender e isso equivale a dizer que você terá que se tornar uma guerreira.
Marley e Eu só fez com que eu me apaixonasse ainda mais por cachorros.
Oliver Twist me ensinou que siim... você vai se lascar, mas depois terá sua recompensa. O importante é o que você ganha pelo caminho (O Mágico de Oz também mostra isso).
A Cabana permitiu que eu mesma tivesse o meu encontro com Deus.
A Megera Domada fez com que eu descobrisse que eu era meio Cat haaha

E por aí vai..., tenho uma lista infindável de livros-mundos que (des)constituiram o meu ser.
Amo-os tanto!! Enquanto eu tiver um livro, enquanto eu tiver minha mini-biblioteca (e outras mundo afora), eu terei MAGIA.