Book* O Chamado do Cuco - Robert Galbraith

Dia desses ganhei um livro que estava LOUCA para ler! Desde que fiquei sabendo que a tia J. K. Rowling havia escrito um livro sob o pseudônimo de um escritor novato, que minha ansiedade para experimentar uma estória completamente diferente de Harry Potter aumentou. Não gostei da sinopse de "Morte Súbita", por isso não senti vontade de ler. Porém, "O Chamado do Cuco" me chamou atenção desde a capa (a qual acho lindíssima) até a sinopse.

O Chamado do CucoSinopse
Quando uma modelo problemática cai para a morte de uma varanda coberta de neve, presume-se que ela tenha cometido suicídio. No entanto, seu irmão tem suas dúvidas e decide chamar o detetive particular Cormoran Strike para investigar o caso.
Strike é um veterano de guerra, ferido física e psicologicamente, e sua vida está em desordem. O caso lhe garante uma sobrevida financeira, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no mundo complexo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas e mais perto do perigo ele chega.
Um emocionante mistério mergulhado na atmosfera de Londres, das abafadas ruas de Mayfair e bares clandestinos do East End para a agitação do Soho. O chamado do Cuco é um livro maravilhoso. Apresentando Cormoran Strike, este é um romance policial clássico na tradição de P. D. James e Ruth Rendell, e marca o início de uma série única de mistérios.
Fonte: Skoob

Minha nossa, há séculos que um romance policial não prendia tanto a minha atenção! Os últimos foram "O Símbolo Perdido" de Dan Brown e "E não Sobrou Nenhum" de Agatha Christie.
Vocês podem acreditar que eu devorei 447 páginas em apenas 1 dia!? Só a tia Jo para conseguir fazer eu realizar tal coisa. Não podia desgrudar do volume, pois queria desesperadamente saber quem era o assassino da supermodelo Lula Landry (gente, quando essa personagem foi descrita, eu imediatamente visualizei a Beyoncé!! Haha). A estória é engendrada de forma brilhante e inteligente. Junto com o interessante detetive Strike e sua cativante secretária Robin, vamos encontrando e tentando unir as peças do grande quebra-cabeça que sustenta a obra. 
Fiquei analisando cada personagem, cada depoimento, cada pista... Sempre quis ser detetive, então foi uma delícia saber como era o passo-a-passo de uma investigação grande como essa.
Sem contar que também conhecemos a história de vida do Strike. Eu me compadeci com isso, até mesmo me identifiquei com ele, quando soube de sua relação amorosa fracassada com Charlotte (que parece alguém que conheço haha).
Desconfiei de tantas pessoas, cada um tem um motivo diferente para ter matado Lula, mas quando você acha que descobriu, Galbraith aka tia Jo dá um jeito de revirar todo o jogo e, então, tudo muda e já não sabemos de mais nada! 
Fora o mistério, J.K também nos instiga a fazer vários tipos de reflexões sobre fama, classes sociais, drogas, problemas psicológicos, família, etnias etc.
Um ponto que mexeu comigo diz respeito à família e nossas origens. Até que ponto isso pode influenciar o que somos? Todos aqueles que nasceram e/ou viveram em condições ruins estão fadados a serem pessoas problemáticas e traumatizadas para o resto da vida??
O que eu sempre digo e, depois da leitura, falo com mais convicção ainda é: "Não importa o que fizeram com você, mas o que você faz com isso".
A leitura flui, a escrita é gostosa de acompanhar, as descrições são ótimas... O cenário de Londres deixa tudo melhor ainda. A trama complexa ganhou a minha admiração! Adorei o final e fiquei boquiaberta com ele (a pessoa que a matou era uma das que cotei como assassina, mas não imaginava que de fato era tal criatura). Fiquei sabendo que haverá uma continuação!! UHU! 
Não deixem de ler "O Chamado do Cuco"!


Quotes

"Maldição, o que acometeu Lula Landry e acometeria todos eles, ele e Rochelle inclusive. Às vezes a má função se transformava lentamente em maldição, como acontecia com a mãe de Bristow… Às vezes a má função se erguia e o encontrava do nada, como uma estrada de concreto abrindo seu crânio."

"O que lamentamos é a imagem física que flutua por uma multiplicidade de tabloides e revistas de celebridades; uma imagem que nos vende roupas, bolsas e uma ideia de fama que, em sua morte, provou-se vazia e transitória como uma bolha de sabão. O que realmente nos faz falta, se formos honestas o suficiente para admitir, são as travessuras divertidas dessa garota de boa vida e fina como papel, de cuja existência de quadrinhos marcada por abuso de drogas, vida tumultuada, roupas elegantes e namorado perigoso e errante, não podemos mais desfrutar."

"Strike estava acostumado a brincar de ser um arqueólogo em meio às ruínas das memórias traumatizantes das pessoas."

"Na cadeia alimentar invertida da fama, as grandes feras que eram perseguidas e caçadas."

"A morte apenas podia falar através das bocas daqueles que ficaram para trás, e através dos sinais os quais aqueles que partiram haviam deixado como rastros." 

2 comentários:

  1. Lembro que li uma entrevista com a autora, que disse ter escrito sob um pseudônimo, para evitar aquela pressão enorme que viria, por ser um livro da mesma autora de Harry Potter. Esperava revelar o segredo, após doze meses, mas não durou quatro.

    Na certa, não estava vendendo porra nenhuma, e a editora fez pressão para que sua identidade fosse revelada, e assim, alavancar as vendas.

    Seria uma boa, se tivesse realmente, segurado essa informação durante os doze meses. Provaria que não adianta o livro ser bom. É preciso marketing.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será?? Gostaria de ver o que aconteceria se o segredo permanecesse! No Brasil não chegou a fazer sucesso, mas dizem que lá na Inglaterra realmente fez.
      O engraçado é o que o outro livro da J.K "Morte Súbita" apesar de ser assinado com o nome da autora não despertou anseio de leitura em muitos dos seus fãs. Eu, por exemplo, não quis... Mas gostei bastante do enredo deste e resolvi conferir! Adorei!

      Excluir